terça-feira, 20 de abril de 2010

Foto do dia... Frio no RS.


Minha xícara predileta. Todo mundo devia ter uma. Somente para ocasiões especiais. Eu, como adoro o frio... especialmente hoje... que o tempo está meio chuvoso... acho uma boa combinação: chuva, frio, capuccino, bolinho de chuva coberto com canela e açucar confeiteiro, cobertor, sofá e filme da sessão da tarde! Claro... e uma bela dona!!!

Minha xícara predileta tem um quê de coisa fina, outro quê de coisa simples, e uma dose de aconchego. Na foto aparece em primeiro plano, e ao fundo minha cafeteira italiana, umas latas de biscoito amanteigados e minhas plantas... O pano de fundo é a luz do céu nublado da cinzenta tarde de terça-feira entrando pela minha enorme janela.

O frio traz consigo o aconchego. O frio nos aproxima. Deus nos deu o frio porque somos um povo frio. Por "increça que parível", é no frio que derretemos o gelo das nossas almas. Quando nos aproximamos, nos aquecemos e derretemos nossos corações de gelo.

O gaúcho aplaude menos nos shows. Nos espetáculos de comédia, é o povo que menos ri.
Por isso mesmo estimula-se tanto a cultura do chimarrão. Povo inteligente que sabe que precisa superar sua aparente frieza, com doses de tradicional cordialidade. Ritual que aproxima, ritual de fé e de amor. E eu também tenho minha cuia e minha bomba prediletas.

Mas a xícara é universal. A cuia é muito regional. A xícara eu posso levar para fora do estado, para fora de casa, para o escritório, para acima do "Mampituba" sem correr o risco de parecer bairrista.

Dividir uma xícara de café ou chocolate quente com a pessoa amada, é mais sagrado e romântico que pedir de joelhos a mão da amada em casamento. Une sonhos e esperanças. Penso em como seria poder dividir com uma xícara de café, meus sonhos com alguém que queira dividir o seus comigo. Penso num nome. Pequeno... 3 letras apenas. Penso numa imagem. Penso em como desejo obsequioso o amor que nutri tantos anos, desde a infância. Suas cores, suas palavras, suas paixões e tudo o que sei sobre ela estão lá... na borra de café com chocolate que fica no fundo da minha xícara predileta. E só eu posso vê-la com meus olhos mágicos... dentro daquela xícara, cheia de sonhos, enquanto sorvo minha bebida quente lentamente, num tributo secreto diário, pensativo e calado... até fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário